HOME
 
ALMÍSCAR
 
PRODUTOS
 
ENVIE SUA RECEITA
 
ATENDIMENTO
 
 
SAÚDE EM FOCO
 
Vitat
Sono desregulado pode causar compulsão...
Saúde em dia
5 temperos deliciosos que aumentam a imunidade
Lilian Pacce
5 dicas para não se acabar nas festas de fim do ano
 
 
Not?cia - Qual a melhor dieta para manter um cabelo... Qual a melhor dieta para manter um cabelo...

Qual a melhor dieta para manter um cabelo saudável?

Tudo o que comemos causa impactos diretos sobre a nossa saúde em todos os níveis, desde o estado físico ou psicológico até o rendimento cognitivo.

Mas a nossa alimentação também pode influenciar em algo aparentemente mais trivial – como o brilho da pele ou dos cabelos.

Não se trata de uma preocupação fútil. A queda anormal dos nossos cabelos pode ser um dos primeiros sinais de que algo não vai bem no nosso corpo. Não podemos desprezar este sintoma.

A queda dos cabelos pode ser desencadeada por diversas razões, como o estresse crônico, predisposição genética, alterações hormonais ou certos tratamentos farmacológicos.

Iremos nos concentrar a seguir nos fatores nutricionais capazes de comprometer o bem-estar dos nossos cabelos e que podem ser controlados de forma relativamente simples.

O controle das inflamações

Sabemos que certos nutrientes são fundamentais para a saúde dos cabelos, como os ricos em proteínas, vitaminas do complexo B, oligoelementos ou certos minerais, como o ferro e o zinco.

De fato, os transtornos alimentares, como a anorexia ou a bulimia, causam considerável restrição de calorias e vitaminas e estão fortemente associados à queda de cabelos.

O que talvez nem todos conheçam são os componentes específicos da alimentação que podem provocar a queda e o empobrecimento capilar.

Alimentos com alto teor de açúcar ou gorduras saturadas, por exemplo, não só estão associados ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como também "estressam" e inflamam as nossas células. Este estado faz com que o nosso organismo fique mais susceptível ao desenvolvimento de uma ampla variedade de patologias – entre elas, a queda de cabelo.

Por isso, muitos dos remédios existentes no mercado para prevenir a queda de cabelos se concentram nos efeitos anti-inflamatórios de alguns compostos.

Seguindo este raciocínio, priorizar alimentos com estas propriedades, como o azeite de oliva extravirgem e os peixes ricos em óleo, e evitar o consumo de alimentos que promovem estados inflamatórios são ações que ajudariam a manter o vigor dos cabelos.

Diversos estudos confirmam esta afirmação. E alguns deles demonstram, por exemplo, que a dieta mediterrânea – o protótipo de um menu rico em alimentos com propriedades anti-inflamatórias – pode exercer efeito protetor para a saúde capilar.

O estresse, outro grande inimigo

As situações estressantes que se apresentam no nosso dia a dia aumentam os níveis do hormônio cortisol como mecanismo de defesa.

E se essa situação "de emergência" persistir por muito tempo? Bem, é aí que começam os problemas.

Produzido pela glândula suprarrenal, o cortisol está diretamente relacionado com a queda de cabelo. E, obviamente, reduzir os fatores que desencadeiam o estresse é a primeira medida que nos vem à cabeça para manter esse composto orgânico nos seus valores normais.

Podemos ajudar a regular o estresse com a alimentação? Claro que sim.

Determinados alimentos como o abacate, os peixes oleosos e certos tipos de sementes, ricos em ácidos graxos ômega-3 e diversas vitaminas e sais minerais, podem frear a produção de cortisol.

O fator microbiota

Por fim, já se comprovou que os alimentos fermentados apresentam efeitos protetores contra a queda dos cabelos. Eles regulam as bactérias intestinais e suas propriedades inflamatórias.

É aqui que entra em jogo a microbiota intestinal – o conjunto de micro-organismos que habitam o nosso sistema digestivo.

Este ecossistema microscópico está diretamente associado à saúde e às doenças, por meio de sua interação com os nutrientes que ingerimos. Tanto é assim que nossa microbiota será diferente, em função da nossa alimentação.

Os nutrientes são metabolizados ou absorvidos de forma diferente, conforme nossa população bacteriana. Por isso, eles irão gerar diferentes sinais químicos e metabólicos.

Isso pode alterar as funções fisiológicas, como a reação ao estresse, que é importante para a saúde dos cabelos, como vimos mais acima.

Quando mais rica e variada for a nossa alimentação, melhor será a comunidade de bactérias que abrigamos no intestino.

Podemos dar uma mão para as bactérias consumindo probióticos, como iogurte, kefir e outros alimentos fermentados. Eles estão associados à melhor saúde mental e digestiva e os nossos cabelos também irão agradecer.


Fonte: BBC
 
           
 
Rua São José, 175 - Vl São José
Várzea Paulista / SP

Rua Maria Maiolino de Souza, 101
Centro - Campo Limpo Paulista / SP

(11) 4596-3321

(11) 4038-6064

Horário de Funcionamento:
Seg a sex 8h30 - 18h | Sáb 8h30 - 12h
contato@almiscar.com.br
 
newsletter
Cadastre seu e-mail e receba nossas promoções
     
         
   
Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados
Produzido por FrameSet